Entrevista com a treinadora da Quinta dos Lombos, Fernanda Piçarra

O FutsalTotal 19 foi conhecer um pouco melhor a treinadora da Quinta dos Lombos, Fernada Piçara, ela que é uma das principais promotoras do Futsal Feminino em Portugal.


FutsalTotal19 – O que a levou a ser treinadora de Futsal?


Fernanda Piçarra - Uma lesão prematura nos joelhos, uma paixão enorme pela prática desportiva que me deixava os fins-de-semana vazios e... um convite que aceitei sem pensar duas vezes.

FutsalTotal19 - Como começou o projecto da Quinta dos Lombos?
Qual os objectivos para esta época desportiva?


Fernanda Piçarra - O projecto na Quinta dos Lombos começou há dez anos. Em 1998, o Clube Nacional de Ginástica acabou com o futsal Masculino e Feminino e um amigo meu indicou-me o CRCQL para continuar. Nessa altura já tínhamos duas equipas, uma sénior e outra júnior. A Vera Mendes, a Sara Ferrão e a Rita Dias são hoje jogadoras da Equipa A que vieram comigo do CNG, têm entre os 24 e 25 anos, metade da vida delas já a passaram comigo como treinadora. Já passámos por muito, em conjunto com outras jogadoras e pessoas muito importantes que foram e são o suporte desta muito longa caminhada. Já temos jogadoras no CRCQL que são filhas de ex-jogadoras.
Quanto aos objectivos para esta época temos diversos. Primeiro, tentámos aumentar a competitividade da Equipa Sénior A, integrando algumas jogadoras não formadas no CRCQL, a integração está a ser excelente e muito mais rápida do que eu estava à espera aumentando as nossas expectativas em relação ao Campeonato Distrital da AFL. Em segundo lugar, a constituição da Equipa Sénior B, essencialmente constituída com jogadoras formadas no Clube possibilitando-lhes a prática do Futsal no CRCQL e a chamada à Equipa A em qualquer altura. Em terceiro lugar, a continuidade na aposta na formação. Tudo isto é possível pelo acreditar de Atletas, Técnicos, Direcção do Clube e pais das Atletas no Projecto. Sem pessoas não há projectos.


FT19 - O que pensa dos moldes actuais do campeonato (campeonato distrital e taça nacional), acha que é o correcto ou alterava alguma coisa?


Fernanda Piçarra - Primeiro temos de ter em conta a realidade financeira da maioria dos Clubes com Futsal Feminino. A maior parte vive da carolice de pessoas de boa vontade. Esta é a nossa realidade. As atletas encaram, na generalidade, o futsal como um divertimento. Os técnicos, na sua maioria, não parecem ter vontade de aprender, ainda no dia 26 de Outubro tivemos o privilégio de ter nos Lombos dos melhores técnicos portugueses, como anteriormente tivemos, o bicampeão Espanhol, Carlos Navarro e, em ambos os casos a adesão foi muito reduzida. Não podemos fazer abaixo assinados na Internet para termos Campeonatos Nacionais e Selecção Nacional e depois na hora de dizer presente, não aparecer. A melhor forma de nos afirmarmos é pela qualidade do nosso trabalho e pela associação a entidades que nos podem ajudar a trilhar o caminho bem íngreme e sinuoso que é chegar aos órgãos de decisão da FPF. Ter a ANTF como parceiro poderia ser importante.
Se olharmos só para estes aspectos, temos o futsal feminino que merecemos. Na minha opinião, é muito importante reduzir os encargos com a organização de jogos e criar condições para termos cada vez mais equipas de Formação. É necessária uma discriminação positiva da parte de todas as entidades que regulam o Futsal em Portugal, Associações e Federação e também das Autarquias de forma a podermos melhorar o nível geral do Futsal Feminino, por exemplo, existem Associações onde não é obrigatório o Policiamento e outras onde o Clube da Casa tem um Cronometrista, outras que têm protocolos com as Câmaras Municipais que pagam as inscrições das Atletas. Se os Clubes fossem estimulados a investir no Desporto Feminino muita coisa poderia mudar. Mais do que exigir Campeonatos Nacionais temos de nos estruturar para que, quando lá chegarmos, o caminho seja sempre a subir, ao contrário da realidade que vemos no Futebol de 11 Feminino, aqui está um bom exemplo de que não é pelo facto de se ter um Campeonato Nacional que vamos aumentar a competitividade.
Continuo a achar que devíamos a curto prazo alterar a estrutura da Taça Nacional seguindo depois para o Campeonato Nacional conforme um dossier que elaborei em Março de 2007.

FutsalTotal19 - Olhando para o facto de não existir um campeonato nacional, nem uma selecção nacional, é fácil motivar as jogadoras?

Fernanda Piçarra - As da Quinta dos Lombos por enquanto é... Agora se estivesse no SL Benfica, se calhar não dizia a mesma coisa...

FT19 - E a nível pessoal, quais são as suas ambições?

Fernanda Piçarra - Gostava de ser Dirigente Desportiva. Gosto de Projectos e de Construir. Por aí...

FT19 – Tem algum treinador c0mo referência?

Fernanda Piçarra - Sim, Carlos Navarro.

FT19 – Sente-se feliz por treinar uma equipa feminina ou esta é só uma experiencia para poder dar o salto para o futsal masculino?

Fernanda Piçarra - É uma paixão. O Desporto Feminino precisa de todos os que lutem por um futuro melhor. Eu gostava de dar a minha contribuição nesse sentido.

FutsalTotal19 - Tem promovido vários eventos para divulgar o futsal feminino, tem colhido alguns frutos desse trabalho?

Fernanda Piçarra - Tenho conhecido pessoas fantásticas, dá-me um gozo enorme organizar estes eventos, o que conta não é o cume da montanha mas o caminho para lá chegar.

FutsalTotal19 - Sendo você uma pessoa que procura dar mais visibilidade ao futsal feminino, como se sentiu ao saber das declarações da seleccionadora nacional de futebol, quando esta numa entrevista proferiu que incentivava as jogadoras de futsal a optar pelo futebol?

Fernanda Piçarra - Foi coerente. Limitou-se a afirmar aquilo que todos sabemos e sofremos na pele. Dizer o contrário é que me poderia surpreender.

FT19 - Vê com bons olhos o facto de fazerem parte da selecção de futebol, várias jogadoras de futsal?

Fernanda Piçarra - Como amiga, vejo. Como técnica, não.

FT19 - Até que ponto este facto prejudica/beneficia o trabalho?

Fernanda Piçarra - Prejudica quando, por exemplo, uma equipa está a participar na Taça Nacional e se vê privada da(s) sua(s) principal(is) jogadoras, pois, ao contrário do futebol de 11, as nossas competições não param. Interferindo directamente com o trabalho e objectivos de toda uma época de um conjunto de pessoas. Beneficia porque pode trazer um grande capital de confiança e motivação à(s) jogadora(s) em causa.

FT19 - Acha que alguma vez haverá um regresso da Selecção Nacional de futsal?

Fernanda Piçarra -
Claro que sim. Não tenho dúvidas sobre isso.

FT19 - A nível de competições internacionais de clubes, a NationsCup é o maior evento feminino, quando acha que vamos ter uma competição apoiada pela UEFA?

Fernanda Piçarra - Não sei. Talvez se a FIFA equacionar a ida do Futsal aos Jogos Olímpicos, neste caso o processo seria muitíssimo acelerado.

FT19 – Tem alguma mensagem de incentivo que queira deixar a que pratica e ama o futsal?


Fernanda Piçarra - Quando Acreditamos Tudo é Possível. Fico muito orgulhosa quando me dizem que se inspiram no projecto do CRCQL. Fico com a sensação de que vale a pena e que a mensagem passa. Cuidado com a pressa de queimar etapas, podemos deitar tudo a perder.



FutsalTotal 19 agradece a disponibilidade da Fernada Piçarra em conceder esta entrevista e aproveita para felicita-la por todo trabalho realizado em prol da divulgação do Futsal feminino...

1 comentário:

kevin disse...

Parabéns pelo seu insentivo ao Futsal feminino, sou treinador de uma equipe aqui no Brasil, também tenho muitas dificuldades em participar de campeonatos regionais de Futsal Feminino, pois é um esporte que não é valorizado pelas autoridades.
Luis Carlos de Azevedo Brasil Estado: Rio Grande do Sul RS
Cidade:Bento Gonçalves
Telefone:3451-7879
Gostaria algum dia fazer um estagio na sua equipe, pois possuo grande esperiencia no Futsal Feminino categorias de base onde fui várias vezes campião.